terça-feira, 11 de agosto de 2009

Sidarta era um budistazinho que questionava sobre a vida, o prazer o universo e tudo o mais? Budista?
Faz favor.

A gente não conhece nada da cultura oriental e quando a gente vê, os budistas são nada mais do que estóicos de roupinha estampada.

Tudo bem. Quero ser budista com roupa de shopping e não me diga que não me apegue aos bens materiais, neguinho.
O mais nocivo bem ao qual a gente pode se apegar e que nos pode causar prejuízos tremendos é outro ser humano.
As roupinhas ficam lá no guarda-roupa só esperando para serem usadas. E se tiver em outra estação, elas também não reclamam. Entendem que é a vez das outras.

Maravilha de livre arbítrio, hein?

Maravilha de gente.

2 comentários:

Clá disse...

Mas hein? Voltou?
(Sim, Capitão Óbvio)

Aline Hack disse...

show de bola...